• 26 JUL 17
    Caminhar beneficia as pessoas que sofrem de fibromialgia

    Caminhar beneficia as pessoas que sofrem de fibromialgia

    Caminhar descansa nossa mente e fortalece nosso corpo. Poucos exercícios são tão libertadores como nos deixar levar pelo ritmo compassado de nossos pés enquanto o coração bate e o olhar relaxa. Tanto é assim que segundo nos indicam estudos, sair para caminhar de forma regular pode melhorar a qualidade de vida dos pacientes com fibromialgia.

    A doença invisível por excelência afeta quase 4% da população mundialsendo quase 90% mulheres. Ninguém escolhe ter fibromialgia e ninguém mais que os próprios pacientes sabem o que é essa dor que não se vê, o peso dos músculos que não respondem, as pontadas nas articulações e a sensação de ser prisioneiro do próprio corpo.

    Apesar dos neurologistas e outros especialistas recomendarem às pessoas que possuem fibromialgia manterem-se ativas sempre que seja possível, sabem muito bem que entre todos eles apenas 31% têm sucesso em realizar exercícios de forma regular. Não é fácil encontrar forças para tanto, não é simples ter ânimo quando o corpo simplesmente não responde.

    No centro de Psicologia Clínica da Universidade Rey Juan Carlos de Madrid, na Espanha, foi realizado um interessante estudo que encontrou resultados muito positivos. Algo tão simples como sair para caminhar durante 20 a 30 minutos por dia pode beneficiar de forma notável a qualidade de vida dos pacientes com fibromialgia.

    A fibromialgia e a hipersensibilidade sensorial

    Apesar de hoje em dia ainda não existir uma unanimidade na hora de determinar uma origem e uma explicação para a fibromialgia, estudos como o publicado na revista “Arthritis & Rheumatology” falam do que é conhecido como uma hipersensibilidade na estimulação sensorial.

    “A fibromialgia não nos dá feriado nem oferece trégua voluntariamente. A dor se torna um inimigo terrivelmente familiar, mas temos a chance de não permitir que ela tome o pleno controle de nossas vidas.”

    Um toque, um estímulo visual intenso, um cheiro, uma posição ruim, uma temporada estressante e causadora de ansiedade… Tudo isso causa uma dor intensa, uma sobrecarga e uma sensibilidade fora do normal que causam inflamações articulares e musculares, um cansaço enorme e até mesmo enxaquecas.

    Esses aspectos podem muitas vezes ser vistos por meio de ressonâncias magnéticas, uma vez que as regiões de integração sensorial do cérebro sofrem de uma superestimulação. São como descargas elétricas, como chicotadas que ninguém mais percebe além do paciente, e que influenciam completamente sua qualidade de vida.

    De um dia para o outro, a pessoa fica presa em seu próprio corpo enquanto a família e o resto da sociedade a olham desconfiados. Não é fácil viver com fibromialgia, não é simples manter um ritmo determinado de atividade, por isso, apesar do que recomendam os médicos, não são todas as pessoas que podem fazer exercício físico de forma regular,

    Caminhar para aliviar a dor

    O estudo foi realizado na Universidade Rey Juan Carlos de Madrid, na Espanha, com mil pacientes que sofrem de fibromialgia. Os resultados obtidos trouxeram muita esperançacaminhar reduz a intensidade da dor e melhora a qualidade de vida dessas pessoas.

    • Os pesquisadores partiram da ideia de que as pessoas que sofrem de dor crônica não podem reunir forças e ânimo todos os dias para sair para caminhar.
    • Deviam tentar uma nova estratégia, algo que incentivasse o paciente a sair da cama, calçar-se e colocar seu corpo em movimento quando este está na verdade gritando “hoje não vamos nos mover”.

    Não podemos nos esquecer tampouco de que a fibromialgia é um problema de saúde pública que demanda recursos multidisciplinares, tratamentos que combinem o aspecto farmacológico com as terapias que cada paciente considere que tragam benefícios para seu caso específico.

    A fadiga, a dor e o caso particular de cada paciente

    A pesquisa feita pelos psicólogos da Universidade Rey Juan Carlos de Madrid determinaa importância de trabalhar com a fadiga, e não só com a dor. Para isso, criaram um interessante programa para intervir na atitude e na motivação de cada paciente, com o objetivo de incentivá-los a caminhar todos os dias durante 30 minutos.

    • Os resultados obtidos foram muito positivos. As pessoas passaram a ter um alívio no que se refere à dor, um ânimo mais positivo e uma melhor saúde em geral graças ao exercício físico moderado, que cuida tanto do bem-estar cardíaco, muscular e ósseo quanto do bem-estar emocional.
    • Mesmo assim, é importante assinalar aqui que é necessário conhecer o estado físico do corpo antes de iniciar por conta própria o saudável exercício de caminhar a cada dia. Alguns pacientes com fibromialgia podem ter problemas de coordenação, de marcha ou até mesmo de equilíbrio.
    • Preste atenção ao seu estado físico e consulte os especialistas adequados se sofre alguma doença de dor crônica. Tenha um calçado adequado, uma roupa cômoda, uma garrafa de água e uma boa companhia para se em algum momento você se sentir indisposto.

    Não hesite para sair para caminhar todos os dias. Aproveite cada passo, presenteie seu corpo com o movimento e relaxe sua mente com cada passo. Vale a pena.

    Texto retirado de – https://amenteemaravilhosa.com.br/caminhar-beneficia-pessoas-fibromialgia/

    Se necessário, procure a consulta de PSIQUIATRIA ou PSICOLOGIA CLÍNICA ou de OSTEOPATIA.

Facebook

Get the Facebook Likebox Slider Pro for WordPress